ARTIGOS                     

 

São Paulo: Secretaria lança cinturão eletrônico de monitoramento do Detecta em todo o litoral paulista

O secretário da Segurança Pública, Alexandre de Moraes, lançou  a implantação da 4ª fase do Detecta com a instalação de uma “cinturão eletrônico” de videomonitoramento que cobrirá todo o litoral do Estado, chegando ao Alto Tietê. Esta etapa do Detecta é fruto da conexão de 480 câmeras e radares OCRs, além de mais 2.181 câmeras de monitoramento em municípios e estradas da região ao sistema.

O cinturão, que forma o maior anel de sistema de monitoramento da América Latina, entra em operação durante a Operação Verão 2015/2016, que reforçará a segurança com mais de 2.883 policiais militares em 16 municípios do litoral Sul e Norte de São Paulo, até o dia 15 de fevereiro de 2016.

"Durante o ano, fomos progredindo e lançando o Detecta. Em parceria com os municípios, vamos dar um combate cada vez mais efetivo a criminalidade", ressaltou Moraes.

Confira na tabela a seguir as regiões:

No total, incluindo os municípios interligados à malha, 38 cidades serão beneficiadas pelas funcionalidades do sistema Detecta.

Além da interligação de câmeras, o Detecta ainda pode receber imagens das 2.181 câmeras espalhados por municípios da região contemplada – são 1.500 câmeras em Praia Grande, 517 câmeras em Santos, 72 câmeras em Guarujá, 32 câmeras em Cubatão, 32 em Campos do Jordão e 28 em Itanhaém.

O sistema receberá alertas em tempo real sobre roubos e furtos de veículos e outras situações suspeitas ocorridas em vias de todo o litoral paulista e estradas que dão acesso às regiões, além de abranger também o Vale do Paraíba e Alto Tietê.

O cinturão eletrônico possui uma amplitude que tem início no município de Iguape, passa por todo o litoral Sul (videomonitoramento e OCRs) e Norte de São Paulo, cobrindo ainda Mogi das Cruzes, no Alto Tietê, e chegando ao Vale do Paraíba (Taubaté, São José dos Campos e Campos do Jordão).

"Temos 2.661 câmeras, não apenas ligadas ao Copo, mas também nos batalhões, nas delegacias seccionais e em todos os tablets nas viaturas", informou o secretário.

O Detecta permitirá que os dados cheguem aos 2.800 novos tablets das viaturas da PM, em todos os batalhões, delegacias, centros de comando e sedes de órgãos de segurança municipais, estaduais e federais, além dos celulares dos agentes de inteligência. O Governo investiu R$ 10 milhões na aquisição dos tablets.

A área do cinturão eletrônico está conectada a todos os Batalhões da PM e Distritos Policiais, além de Centros de Monitoramento dos municípios conveniados. A integração vai além dos recursos tecnológicos, já que as instituições de segurança também compartilham informações entre si.

Os agentes da Polícia Civil que atuam nos departamentos de Polícia Judiciária do Interior 1 e 6 (Vale do Paraíba e Litoral Norte e Baixada Santista e Vale do Ribeira) receberam treinamento para acessar as funcionalidades do Detecta.

A 4ª fase do Detecta beneficiará uma população fixa e flutuante de 3.727.143 habitantes dos municípios do litoral Sul e de 1.818.842 (fixa + flutuante) no litoral Norte, já que essa região litorânea recebe muitos turistas durante a temporada de festas de final de ano, férias escolares e Carnaval – de dezembro a fevereiro.  

Amplitude do cinturão eletrônico

As regiões apresentadas nos mapas abaixo estão protegidas por tecnologia de videomonitoramento, o que faz com que os crimes sejam monitorados em tempo real ao longo de todas as estradas atravessadas pelo circuito. Por exemplo, um carro roubado que sair do litoral será identificado pelos radares, que irão disparar alertas por todo o trajeto que ele fizer nas vias monitoradas. 

Alarmes inteligentes detectam situações suspeitas

As câmeras já equipadas com radar também detectam algumas situações suspeitas como, por exemplo, veículo furtado, veículo roubado, veículo envolvido em ação criminosa, proprietário de veículo com mandado de prisão e proprietário de veículo com registro de desaparecimento.

Com este recurso, o Detecta dá aos policiais a condição de agir mais rapidamente no combate ao crime, além de oferecer o que se chama de “consciência situacional”. Em resumo, ao atender uma ocorrência, o PM que recebeu o alarme terá mais informações sobre a situação que vai encontrar. Para a Polícia Civil, serve principalmente para apoiar as investigações.

"Com as câmeras OCRs, qualquer veículo roubado, furtado ou algum que faça comboio para atividades criminosas, será identificado e a viatura mais próxima receberá um alerta".

O Detecta ainda está desenvolvendo a instalação de vídeos analíticos em câmeras em Santos, Guarujá, Cubatão, Praia Grande e duas estradas da Ecovias – Padre Manoel da Nóbrega e Imigrantes, que poderão identificar outras situações e emitir alertas aos agentes e nos centos de operações.

Previstas para o dia 4 de janeiro, as câmeras estarão capacitadas para identificar os seguintes casos: carro no acostamento, moto parada, pedestre na via e pessoas ao redor de veículos. As cidades conveniadas e a Ecovias também receberão alertas da PM, como de veículos roubados e furtados, além de mapas de suas regiões.

"Em janeiro, vamos incluir toda região de Campinas e, até o final de 2016, todos os 645 municípios estarão interligados, em tempo real, com o Detecta", explicou o secretário.
 


Assessoria de Imprensa e Comunicação da Secretaria da Segurança Pública

Painel principal da Central de Monitoramento no bairro da Luz

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

     

 


Direitos autorais reservados (c) 2009 - J. Bispo Morais - Mtb 63290 -  Proibida a reprodução por qualquer meio sem a prévia autorização

redetransito@redetransito.com.br